sábado, 21 de abril de 2012

Nosso cérebro, nossas emoções e nosso estômago

Acho incrível como certas informações vêm até mim, como no último texto que eu postei, eu nunca havia visto aquele livro, simplesmente abri em qualquer página e olha no que deu!Dessa vez aconteceu com meu livro de espanhol: achei um texto que falava da relação do apetite com a mente.Traduzi alguns termos e dei uma googlada, porque sou fascinada por neurociência! Então vamos ao que eu descobri:

Todas sabemos que a comida não é somente um combustível, ela também é usada como fonte de prazer, mas porque está tão ligada a emoções e por que alimentos açucarados e gordurosos são tão viciantes?Porque a torre de controle do nosso apetite está situada no hipotálamo, que também controla nossas emoções, o sono, o comportamento sexual...

"  O hipotálamo, também constituído por substância cinzenta, é o principal centro integrador das atividades dos órgãos viscerais, sendo um dos principais responsáveis pela homeostase corporal. Ele faz ligação entre o sistema nervoso e o sistema endócrino, atuando na ativação de diversas glândulas endócrinas. É o hipotálamo que: 
  • controla a temperatura corporal, 
  • regula o apetite 
  • regula o balanço de água no corpo, 
  • regula o sono 
  • e está envolvido na emoção e no comportamento sexual
  • Tem amplas conexões com as demais áreas do prosencéfalo e com o mesencéfalo
  • Aceita-se que o hipotálamo desempenha, ainda, um papel nas emoções. Especificamente, as partes laterais parecem envolvidas com o prazer e a raiva, enquanto que a porção mediana parece mais ligada à aversão, ao desprazer e à tendência ao riso (gargalhada) incontrolável. 
  • De um modo geral, contudo, a participação do hipotálamo é menor na gênese (“criação”) do que na expressão (manifestações sintomáticas) dos estados emocionais."

    Quando nosso corpo sente que precisamos nos alimentar, ele produz o neuro-peptídeo Y, um  neurotransmissor que estimula a ingestão e que, se liberado em excesso, pode favorecer à obesidade.Ele também diminui a nossa capacidade de concentração e a irritação quando estamos privados da comida.Depois, quando o cérebro vê que estamos alimentados, os neurônios CART/POMC desativam nossos impulsos mais vorazes.
    Estes neurônios estão localizados na barreira hematoencefálica,  uma estrutura membrânica que atua principalmente para proteger o SNC de substâncias químicas presentes no sangue.Estão ligados com diversos núcleos do hipotálamo e regiões olfativas, visuais, cognativas, emocionais e motoras (talvez por isso que ficamos mais tentados a comidas cheirosas e coloridas!)

    Os opiáceos endógenos naturais são substâncias sintetizantes no nosso cérebro que elevam o apetite, um desses opiáceos, a encelfalina, nos impulsiona a ingerir comidas açucaradas e gordurosas, amais que nossas necessidades energéticas.
    "As encefalinas são neurotransmissores narcóticos secretados pelo encéfalo. Semelhantes à morfina, elas se ligam a sítios estereoespecíficos de receptores opióides no cérebro (reagindo com os mesmos receptores neurais do cérebro que a heroína), aliviando a dor (mecanismo de analgesia) e produzindo uma sensação de euforia."http://pt.wikipedia.org/wiki/Encefalina

    Por isso acabamos comendo muito ou pouco dependendo do nosso humor: porque a parte do cérebro responsabilizada pelas emoções e pelo apetite é o mesmo, associando-os.Também por causa das substâncias encontradas em comidas doces e gordurosas, que liberam a sensação de prazer, que são registradas pelos mesmos neurônios responsáveis por estímulos como drogas (que também provocam essa sensação de prazer e recompensa).

    É por isso que me interesso por neurociência, pois acho que a anorexia (que está associada à depressão, associada à receptores de seretonina) pode estar relacionada à um defeito ou dano causado ou desenvolvido nesta região do cérebro e quero saber como/ se estas regiões podem ser afetadas por nosso sistema cognitivo (dos pensamentos).



6 comentários:

  1. Não sabia que o nome disso era neurociencia! Adoro!
    Só vc pra me fazer ler isso hehe.
    Açucar vicia muito, eu bem sei!

    ResponderExcluir
  2. nossa incrível, eu ja havia visto algo sobre isso. E sou ate a prova viva, quando estou bem com familia e etc como bem menos de quando estou triste :( e eu sou do tipo de triste que ataca logo os doces

    ResponderExcluir
  3. Realmente é incrivel sim como as cosias chegama te nos... e n acredito em coecidencias entao acho q deve interpretar bem a fraze do livro =] Sobre como a comida reage no nosso organismo eu ja sabia, pq sou MUITO CDF e me itneresso abstente pela área de biologia... apesar q vou fazer engenharia... loga eu ne? HEAUIHEUIAHUIEA Bjão da AlÊ

    ResponderExcluir
  4. nass quanta informação, muito dificil pra minha capacidade de raciocionio, sou lerda, intendii um pouco, acho interessante.
    As vezes acontece isso, de tipo vc ter aberto o livro na pag e tals, dá medo. O.o
    muita força flor.
    bjos.

    ResponderExcluir
  5. Eu já sabia disso por causa do meu curso. Gosto tbm de neurociências e meu prof. era muito legal e ensinava muito bem. Tudo em nosso corpo está interligado, nada pode ser dissociado, nosso corpo e mente, é um só. É que nem nas cirurgias de obesidade, em que se emagrece e junto precisa-se "emagrecer mentalmente". É um assunto muito complexo e extenso...hehehe
    É muito bom colocar essas coisas aqui pra todas as meninas saberem um pouco ;)
    Bejuh e ótimo final de semana.

    ResponderExcluir